MNML – Visualização em projetos de crowdfunding

Atualizado: 8 de Jan de 2019


Visualização em projetos de crowdfunding

Recentemente a Kickstarter financiou vários projetos no valor de um bilião de dólares. Um desses projetos, TikTok + LunaTik Watch Kits, foi criado pela MINIMAL, uma empresa de design sediada em Chicago. Em 2010, Scott Wilson e a sua equipa angariaram quase um milhão de dólares, muito antes da plataforma ser amplamente usada por designers e empreendedores, tal como é hoje. A visualização tem tido um papel crucial nos projetos de financiamento coletivo da MINIMAL. A qualidade de imagens nas suas campanhas como a TikTok + LunaTik e a ultra robusta capa de iPhone TAKTIK ajudaram a apresentar os designs práticos e inovadores da MINIMAL a uma nova audiência no Kickstarter. De facto, estas campanhas tiveram tanto sucesso que eles lançaram a LUNATIK numa marca global.

A reputação da MINIMAL precede-os. O seu portefólio impressionante inclui a Xbox 360 + Kinect, Nike’s Amps, a Coleção SW_1 para Coalesse e fones Motorola Bluetooh, e ainda trabalharam com a Google, Dell e Apple. Falámos com Dustin Brown, um dos designers principais da MINIMAL, acerca do processo da empresa para a visualização de design e como o V-Ray é usado no estúdio.


“O V-Ray para Rhino é o nosso método de produção para visualização. Desde cedo, tentamos criar soluções de design realistas, e depois pomos à prova a qualidade dos nossos conceitos continuadamente enquanto construímos o modelo em 3D. O V-Ray está presente desde o inicio neste processo, vamos recebendo criticas internas e dos clientes, sobre os nossos conceitos iniciais e claro, com a ajuda do V-Ray vamos melhorando e refinando os mesmos em fases mais tardias. Desta maneira sabemos que estamos sempre a seguir o caminho correto."

Encontrar esse balanço não foi sempre fácil. Antes do fundador Scott Wilson ter apresentado o V-Ray à equipa, a MINIMAL, dependia de múltiplos renderers. Como é expectável, isto levou a apresentações inconsistentes e falhas no processo de trabalho entre designers que preferiam um renderer a outro. “Quando a MINIMAL começou eu usava o renderer com que tinha entrado,” disse Brown. “O resultado era ótimo, mas também era lento e requeria alguns esforços. Aquilo que eu queria mesmo fazer, era ser criativo, e não, ter que batalhar com o software. O V-Ray para Rhino ajudou-nos a alcançar esse lugar numa questão de dias; agora partilhamos materiais, cenas, e configurações de render no estúdio com facilidade, o que diminuiu imenso o tempo que gastamos em renderização em toda a empresa.

O V-Ray para Rhino economizou imenso tempo à MINIMAL desde que está incorporado no Rhino. “Levar algum tempo para exportar os dados para um programa externo e reaplicar materiais constantemente resulta numa perda significativa de tempo quando o fazemos múltiplas vezes por dia,” disse Brown. “O V-Ray para Rhino elimina muitas destas etapas. Podemos modelar, fazer um render rápido, fazer alterações ao modelo, e renderizar novamente a partir do mesmo local. Não temos que recriar ambientes ou iluminação de imagens anteriores ou aproximar as mesmas posições de câmara. Normalmente nem precisamos de reatribuir materiais. Sempre acreditámos que isso cria um equilíbrio perfeito entre simplicidade e poder.”


O sistema de materiais do V-Ray é uma grande razão pela qual a MINIMAL é capaz de produzir resultados tão incríveis. Usado para os seus trabalhos para clientes e para a linha de acessórios interna LUNATIK, o V-Ray oferece à MINIMAL a flexibilidade que ela precisa para comunicar diferenças subtis entre plástico texturizado, borracha, ou até mesmo texturas diferentes dentro da mesma superfície.

“Embora os seus designs, sejam normalmente tecnologicamente baseados na natureza, estes tocam em tudo, desde mobília futurista a conjuntos de chá modernos, o que significa que, para terem valor, os materiais que eles usam precisam de ter profundidade suficiente para cobrir os seus impulsos criativos, e realismo suficiente para prender a atenção."

Com o V-Ray conseguem os dois, e é por isso que os seus clientes usam frequentemente as suas imagens como fotografias do produto e imagens de loja.

Fazer trabalhos fantásticos não interessa se não os conseguirmos entregar a tempo. Já otimizado para uma maior velocidade, o V-Ray para Rhino também possui uma ligação direta à render farm, então o poder de várias máquinas consegue obter renders ainda mais rápido.

“O jogo da renderização mudou completamente para nós quando aprendemos o quão fácil era adicionar recursos de rendering em rede ao V-Ray. A configuração foi tranquila e agora todo o processo se mantém transparente a maior parte do tempo, por isso não estamos a enviar trabalhos nem a fazer o upload deles para um servidor. Basta clicarmos render e o V-Ray usa todos os recursos disponíveis. É uma solução ótima e simples para uma equipa da nossa dimensão,” continua Brown.


“Network Rendering simples mas funcional é uma coisa grande para nós. Permite-nos fazer de um renderer, com a qualidade de produção de Hollywood, como o V-Ray, uma parte do nosso processo de design de produto enquanto a maioria das empresas na nossa área está a usar ferramentas que apenas visam a velocidade. A mistura entre velocidade, qualidade e controlo é uma base muito melhor e nós usamo-la para impressionar as pessoas.”

Estamos sempre curiosos para ver o que a MINIMAL vai fazer a seguir. Seja lançar outra campanha de crowdfunding auto incubada ou trabalhar com algumas das maiores marcas do mundo. O seu histórico fala por si, e nós estamos ansiosos para que o V-Ray para Rhino se torne parte do seu processo de visualização no futuro.

Descubra mais acerca da Minimal em www.mnml.com


Artigo em Inglês

Traduzido por Sara Correia

Contacto: hello@vray.pt
Todas as imagens presentes neste site (excepto referentes aos artigos do blog) foram criadas por instrutores ou alunos da Vray.pt e por conseguinte têm os direitos de autor reservados. Qualquer uso das mesmas, seja em formato original ou alterado é proibido. Para obter uma licença de utilização por favor contacte-nos.
© vray.pt 2018. Portugal. Todos os direitos reservados.